Controle de Pombos e Morcegos

Pombos

Vivem de 15 a 30 anos na natureza, e somente 3 a 5 anos nas cidades, devido a doenças provocadas pela alimentação não natural e ao desequilíbrio de sua população.

Utilizam como abrigo locais altos, como torre de igreja, forro de telhado, topo e beirais de edifícios, vão de instalação de ar condicionado, etc…

Escolhem estes locais estrategicamente, de modo que possam usá-los como abrigo e ponto de observação de sua vizinhança e da fonte de alimento.

Além da contaminação do ambiente por fungos e bactérias, as fezes dos pombos também podem provocar danos materiais.

Suas fezes ácidas além de sujar, danificam pinturas, superfícies metálicas,

fachadas e monumentos.

  • Cada pombo produz cerca de 2,5 kg de fezes ao ano.
  • Provocam entupimento de calhas e apodrecimento de forros de madeira, pelo acúmulo de ninhos e fezes.
  • Podem contaminar grãos e alimentos, em silos e indústrias.

Morcegos

Todos os morcegos, independente do seu hábito alimentar, podem morder se forem indevidamente manipulados ou perturbados. Se estiverem infectados, podem transmitir a raiva que é uma doença sempre fatal, na ausência de tratamento apropriado.

Podem ser encontrados nos morcegos ou em suas fezes (acumuladas nos abrigos diurnos), vários agentes patogênicos (vários tipos de bactérias, fungos e vírus). Entre estes, podemos citar a presença de fungos, os quais se desenvolvem nas fezes de aves e morcegos, e que podem causar a histoplasmose (infecção respiratória).

Os pombos e morcegos são protegidos por lei, não podem ser exterminados mas tão somente repelidos.

A SEGURA desenvolveu um método exclusivo de repelência, que consiste em armadilhas físicas. Os animais são capturados e depois são readaptados em outro local devidamente estudado e adequado. Contudo cada caso deve ser estudado separadamente para se determinar qual o melhor método. Todos os métodos utilizados não ferem os animais ou os seres humanos.